Negociação põe fim a possibilidade de paralisação do atendimento de urgência e emergência e descredenciamento do SUS da Policlínica Chopinzinho
SAÚDE
28 de Abril de 2016

Numa reunião de quase duas horas na quarta feira, dia 27, envolvendo a direção do hospital Policlínica Chopinzinho, administração municipal e chefe da 7ª Regional de saúde de Pato Branco, as partes envolvidas chegaram a um acordo para evitar a paralização do atendimento do plantão de sobreaviso, urgência e emergência do hospital e descredenciamento dos internamentos do SUS. A confirmação foi feita através de uma entrevista coletiva com todas as partes envolvidas na manhã desta quinta feira, no hospital Policlínica Chopinzinho.

O chefe da 7ª regional de saúde de Pato Branco, Nestor Werner Júnior, lembrou que uma solução já vinha sendo trabalhada há pelo menos seis meses na elaboração de uma lei que possibilitasse de forma legal o repasse dos recursos. “Tivemos essa reunião na quarta feira, onde através de muito diálogo foi possível chegar a um consenso para que os serviços não parem de ser prestados no hospital. Na proposta apresentada e que já vinha sendo discutida há vários meses, fizemos uma composição de recursos em dois convênios, onde num deles o governo vai fazer o repasse para o atendimento de urgência e emergência no valor de 110 mil reais por mês. O outro repasse será feito através de uma recomposição onde o município vai receber um determinado valor do estado e em troca disso ficará responsável pela gestão da média e alta complexidade hospitalar na policlínica. Acredito que nos próximos 15 dias já teremos um documento oficial inclusive com prazos definidos para os pagamentos que serão feitos ao hospital”, disse Nestor.

O diretor do hospital policlínica Chopinzinho, Dr João Carlos Guarienti, garantiu diante do compromisso assumido pelas partes envolvidas, que o atendimento não será suspenso. “O hospital mais uma vez dá um voto de crédito ao governo do estado diante do compromisso de que num prazo de 15 dias será elaborado um documento por escrito visando solucionar o impasse dos recursos a serem destinados ao hospital referentes aos valores que estão em atraso e os que serão pagos daqui para frente. Caso o compromisso não seja honrado, a direção do hospital mantém a intenção de num prazo de 90 dias efetuar o descredenciamento do SUS e paralização dos serviços prestados, porém, acreditamos que dessa vez o problema será resolvido de uma vez por todas e com isso quero tranquilizar a população, pois tenho certeza do bom andamento das relações na área de saúde” disse Dr. João Carlos.

O prefeito municipal Rogério Masetto comemorou o acordo firmado entre as partes envolvidas, destacando que havia um temor geral da população chopinzinhense com a possibilidade da paralização dos atendimentos. “Nos últimos dias criou-se um clima tenso na comunidade com a possibilidade de paralisação no atendimento feito pelo hospital no plantão de urgência e emergência e o descredenciamento do SUS. Nós já estávamos trabalhando juntamente com a 7ª regional de saúde na elaboração de um projeto que viabilizasse de forma legal o repasse desses recursos para o hospital, tendo em vista que os atendimentos particulares e do SUS vem diminuindo mês a mês e com isso os hospitais estão enfrentando sérias dificuldades financeiras. É importante frisar que o compromisso que o município mantém com o hospital que é do plantão de urgência e emergência no valor de 150 mil reais por mês, ou seja, cinco mil reais por dia, esses pagamentos estão rigorosamente em dia. O que havia era uma pendência nos repasses dos recursos do estado, e felizmente diante do compromisso do governo em resolver a situação da forma mais rápida possível, o hospital voltou atrás e vai manter o atendimento”, destacou o prefeito.

LEIA TAMBÉM
CONTATO COMERCIAL
(46) 3242-1495
(46) 98413-4946
comercial@radiochopinzinho.com.br
REDES SOCIAIS
PB Agência Web