Promotor esclarece irregularidades do Conselho Tutelar de Sulina
POLICIAL
09 de Fevereiro de 2016

Segundo informações colhidas junto ao Ministério Publico da Comarca de São João uma conselheira tutelar de Sulina pediu exoneração do cargo após serem apresentadas denuncias ao seu desfavor de que o diploma do ensino médio apresentado por ela no dia da posse estava irregular.

A promotoria publica instaurou um procedimento para verificar essa denuncia, e ao entrar em contato com a Secretaria de Educação de Minas Gerais e com a escola que deveria ter emitido o diploma de conclusão do ensino médio foi constatado que a pessoa denunciada não frequentou aquela instituição de ensino.

Segundo Promotor de Justiça, Dr. Eduardo Garcia Branco, a conselheira tutelar alegou ter feito o curso de conclusão do ensino médio pela internet, assistiu as aulas e após um período recebeu o certificado.

Mas em virtude do diploma não ter registro na Secretaria de Educação de Minas Gerais a conselheira eleita não poderia exercer a função, e após quase um mês como conselheira no município pediu exoneração do cargo. A suplente foi chamada e já está realizando os trabalhos como conselheira.

Agora a denuncia está sendo investigada pela Delegacia de Policia Civil que instaurou inquérito para averiguar se esse documento apresentado foi falsificado, se foi feito uso de documento falso ou se a candidata ao Conselho Tutelar foi vitima de golpistas, e se existe o envolvimento de outras pessoas neste caso.

Nossa equipe de reportagem entrou em contato com o CMDCA do município de Sulina e até o fechamento desta matéria não tivemos respostas.

 

 

Fonte Ademir Hanzen

Com informações do Ministério Publico


LEIA TAMBÉM
CONTATO COMERCIAL
(46) 3242-1495
(46) 98413-4946
comercial@radiochopinzinho.com.br
REDES SOCIAIS
PB Agência Web